Educação e FamíliaCrianças e Tecnologia: Cuidado!

De repente nossos filhos pedem a telinha e começamos a ler sobre o perigo do vício em tecnologia, riscos de desenvolverem inabilidades sociais, obesidade, falta de atenção e foco…

Aí tiramos os eletrônicos não sabemos o que fazer… e nem eles!

Há alguns meses, a Associação Japonesa de Pediatria começou uma campanha para restringir o uso prolongado dos celulares e tablets, sugerindo controle e mais brincadeiras entre pais e filhos. Agora são a Academia Americana de Pediatria e a Sociedade Canadense de Pediatria as que revelam 10 razões pelas quais crianças menores de 12 anos não devem utilizar esses aparelhos sem controle. A associação também aconselha que as famílias acompanhem o conteúdo que as crianças acessam na internet e assistem na televisão, e que apresentem a seus filhos programas e ferramentas virtuais que sejam educativos. Ainda segundo as orientações da AAP, crianças menores do que dois anos não devem ter contato com televisão, computadores e outros aparelhos do tipo. “Nessa idade, simplesmente não há benefícios”, diz a recomendação.

Sendo assim, Eles têm muito claro que os bebês entre 0 e 2 anos não devem ter contato algum com a tecnologia; entre os 3 e 5 anos, deve ser restringido a uma hora por dia; de 6 a 18 anos a restrição deveria ser de duas horas por dia.

Além disso, uma outra pesquisa, esta feita na Universidade de Otago, na Nova Zelândia, e publicada na mesma revista, mostrou que crianças que passam muito tempo em frente à televisão sentem mais emoções negativas e tendem a apresentar uma personalidade agressiva e antissocial ao longo da vida.

Há algum tempo, a associação orienta que os pais evitem que seus filhos tenham televisão no quarto. Um estudo publicado em dezembro de 2012, por exemplo, descobriu que crianças que têm o aparelho no quarto apresentam, no geral, maiores níveis de gordura subcutânea (que geralmente se acumula na barriga, nas pernas e no culote), de gordura visceral (que fica em torno dos órgãos) e maiores medidas de circunferência abdominal do que os outros jovens. Além disso, pesquisas mostraram que muito tempo em frente a alguma tela também pode causar problemas relacionados ao sono e comportamentos agressivos.

Mídias – Agora, a AAP também está preocupada com outros aparelhos que não somente a televisão, como computadores e celulares. De acordo com a associação, atualmente, o tempo médio que as crianças passam em frente a algum desses aparelhos é de oito horas por dia. Pediatras acreditam que uma das consequências desse comportamento é a maior exposição a problemas como o cyberbullying e conteúdos de caráter sexual. Por isso, a associação também recomenda que os pais evitem que seus filhos tenham computadores e usem celulares e tablets em seus quartos.

Brincávamos na rua, e eles não tem onde brincar…  Sorte um pouco maior dos que moram em condomínios fechados. Hoje ninguém tem tempo pra isso.

Se as crianças de hoje nasceram na era digital e não sabem brincar – a não ser de brincadeiras prontos e passivas – a culpa é nossa, que não ensinamos. A maioria dos pais vivem sem tempo… Quando não matricula o filho numa escola integral, matricula em dez atividades extra-curriculares simultâneas para ‘preencher’ a agenda da criança. E quando querem se livrar do filho, tacam-lhe um ipad na mão. Aí a criança fica quieitinha, passiva e bem calminha, sem incomodar ninguém.

Em uma idade em que o corpo pede movimento, ação, imaginação, sol, relação com amigos…eles estão sentados na frente da tal peça sedutora (TV, IPAD, TABLET, SMARTPHONE).

Nossas brincadeiras envolviam estratégia, imaginação, natureza, coordenação motora, convívio, negociação, comunicação, equilíbrio, rapidez e por aí vai…

Eu não sou contra eles assistirem televisão (dependendo da programação), contra eles jogarem vídeo game ou jogos de computador, etcSou contra eles só fazerem isso, ou ocupar um grande espaço de tempo com isso.

Ao ver um programa infantil na televisão por uma hora, percebemos nas entrelinhas dos comerciais a escravidão do sistema. As crianças são bombardeadas com a doutrina capitalista, o consumismo é venerado o tempo todo. Uma ideologia ferrenha na mente de seres tão indefesos, que assistem tudo sem análise crítica alguma. Um verdadeiro treinamento para meninas e meninos comprarem, comprarem, e consumirem cada vez mais.

Desligue a televisão e veja o seu filho libertar a imaginação com amigos imaginários, brinquedos feitos de sucatas, dançando e cantando. Sente-se no chão e brinque com ele, faça uma agenda semanal de atividades pedagógicas divertidas. Pesquise em blogs, use a imaginação!

Pesquisei no Guia Infantil, e descobri essa lista de 10 motivos muito interessante:

Por que limitar o acesso das crianças aos celulares ou tablets

1 – Desenvolvimento cerebral das crianças 

Um desenvolvimento cerebral causado pela exposição excessiva às tecnologias pode gerar o déficit de atenção, atrasos cognitivos, problemas na aprendizagem, aumento da impulsividade e da falta de controle (birras).

2 – Atraso no desenvolvimento da criança 

O excessivo uso das tecnologias pode limitar o movimento e consequentemente o rendimento acadêmico, a alfabetização, a atenção e capacidades.

3 – Obesidade infantil 

O sedentarismo que implica o uso das tecnologias é um problema que está aumentando entre as crianças. Obesidade leva a problemas de saúde como o diabetes, problemas vasculares e cardíacos.

4 – Alterações do sono infantil 

Os estudos revelam que a maioria dos pais não supervisiona o uso da tecnologia pelos seus filhos nos seus quartos. Isso faz com que seus filhos tenham mais dificuldades para conciliar o sono. A falta de sono afetará negativamente seu rendimento escolar.

5 – Doença mental 

Alguns estudos comprovam que o uso excessivo das novas tecnologias está aumentando as taxas de depressão e ansiedade infantil, distúrbios do processo de vinculação entre pais e filhos, déficit de atenção, transtorno bipolar, psicose e outros problemas de conduta infantil.

6 – Condutas agressivas na infância 

A exposição das crianças a conteúdos violentos e agressivos pode alterar sua conduta. As crianças imitam tudo e a todos. Assim que os pais devem vigiar o uso de smartphones e tablets pelas crianças.

7 – Falta ou Déficit de Atenção 

O uso excessivo das novas tecnologias pode contribuir para o déficit de atenção, diminuir a concentração e a memória das crianças, graças à grande velocidade dos seus conteúdos.

8 – Vício infantil 

Os estudos demonstram que uma em cada 11 crianças são viciadas às novas tecnologias. Cada vez que as crianças usam os dispositivos móveis, elas se distanciam do seu meio, de amigos e familiares.

9 – Muita radiação

A Organização Mundial da Saúde (OMS) classifica os celulares como um risco na emissão de radiação. As crianças são mais sensíveis a esses agentes e existe o risco maior de contrair doenças como o câncer.

10 – Superexposição 

A constante e superexposição das crianças à tecnologia as tornam vulneráveis, sujeitas a serem exploradas e expostas a abusos.

Além disso, os especialistas concordam que ficar horas conectadas ao celular ou tablet é prejudicial ao desenvolvimento das crianças. Os estudiosos acreditam que geram crianças mais passivas e que não sabem interagir ou ter contato físico com outras pessoas. E ainda que entendam que as novas tecnologias façam parte da sua vida, eles acreditam que não devem substituir a leitura de um livro ou o tempo de brincadeira com irmãos, pais e amigos.

http://br.guiainfantil.com/materias/educacao/internet10-motivos-para-proibir-os-smartphones-para-criancas-menores-de-12-anos/

http://veja.abril.com.br/saude/pais-devem-limitar-tempo-de-televisao-computador-e-