DiversosIrritando Ana Karina

IRRITANDO ANA KARINA

Provavelmente este post será em forma de séries. Fui anotando coisinhas que acontecem no cotidiano e sempre aparece mais e mais situações para compartilhar.

A primeira remessa de fatos está aqui. De hoje a alguns meses outras situações irão acontecer, favorecendo um segundo post…

Sim… A Bíblia dos ensina a sermos longanimos benevolentes e compassivos. E acontecem situações em nosso dia a dia que servem para testar a nossa paciência. Só mesmo praticando que conseguiremos exercitar nosso grau de longaniminidade…É um exercício diário.

NO SUPERMERCADO

Estou na fila do supermercado aguardando o cliente acabando de passar as compras. O processo acaba rápido!  Mas logo percebo que o carrinho vazio fica estático… bem ali na minha frente. O processo de pagamento é iniciado e percebo que a situação está se encaminhando para o desastre final… SIM! Já me vejo arrastando aquele carrinho que outra pessoa utilizou, para poder passar o meu. Afinal, aquela pessoa ‘educada’, largou-o empacado bem na minha frente. Coisinhas de país de terceiro mundo…

 Depois de retirar o carrinho do ser quase humano, começa o processo para passar suas compras. Vai colocando tudo na esteira, e a funcionária vai registrando todos os itens. No final de tudo, a pessoa insiste em realizar a pergunta mais idiota do mundo: “- Mais alguma coisa”?  A pessoa tá vendo que a esteira tá vazia!!! Dá uma vontade de falar: “_ Ah sim! Quero um quilo de bacalhau, espera um minutinho que eu vou lá buscar e já volto!”

Ainda sobre carrinhos de supermercados, essa história continua no estacionamento do local.  Tem aquelas pessoas super educadas que terminam de colocar as compras no carro, e largam o carrinho vazio em uma vaga vazia. Ou seja… Olha a mentalidade tupiniquim aí de novo! Sempre largando para os outros aquilo que é obrigação dela mesma fazer! Deixa pro empregado do shopping, pro zelador, enfim… A mentalidade de país imperialista, escravagista, gente que não assume as próprias responsabilidades de cidadão. Porque tem sempre alguém que faz. Como se jogar lixo no lugar certo, devolver o carrinho no LUGAR CORRETO, fosse demais, fosse sinônimo de vergonha.

TRANSITO

Uma outra situação que me deixa louca é quando quero estacionar o carro. Avisto alguém que vai desocupar uma vaga! Oba!!! Ligo a seta e fico aguardando ansiosamente este momento acontecer. A rua está bem movimentada e a ansiedade aumenta aguardando o ser sair para poder estacionar. Mas… os minutos vão se passando e ligo o cronometro… A pessoa demora 45 segundos para colocar o cinto de segurança, 20 segundos pra retocar o batom, 10 segundos para conferir o retrovisor, e quando penso que vai desovar a cobiçada vaga… a pessoa ainda atende uma ligação no celular. Eu não consigo entender porque 99% das pessoas demoram TANTO para desocupar uma vaga de transito! Será que é tão difícil virar a chave e partir? Acho que falta um pouco de empatia… saber se colocar no ligar do outro, e claro, ligar o desconfiômetro também.

A faixa de pedestres é para ser respeitada, sem sombra de dúvidas… Um dia você é motorista, no outro você é pedestre, e por aí vai.  Mas venhamos e convenhamos, como tem pedestres abusados não é mesmo? Tem alguns que são tão abusados, mas tão abusados que te fazem sentir arrependimento de ter parado na faixa. Pronto, falei. Vão atravessando como se fosse modelo da são Paulo Fashion week, a babá vai empurrando o carrinho do bebe em passos de tartaruga, o outro falando mole no celular e esquece até que está atravessando uma avenida! Ai ai… É bom respirar fundo e contar até 5…, porque até 10 é pedir demais.

TELEFONE E CELULAR

O telefone toca. Em tempos de whatsapp, ligação é prova de amor ou emergência de verdade. Tira do gancho e ouve-se o interlocutor perguntando: “- Quem está falando?” Oh céus!!! O sujeito liga pra minha casa e ao invés de se identificar, eu que preciso responder quem está falando? Faça me rir…

Pessoal acha que internet é território que não tem regras de etiqueta. Ledo engano. E como tem!! Quantas pessoas já não passaram pela seguinte situação: Manda uma mensagem pelo whatsapp da pessoa. Você aguarda , mas não recebe um feed back. Daí você constata que a setinha ficou azul (avisando que a mensagem foi lida), mas a pessoa ignora a mensagem. É ou não é o cúmulo da falta de classe?

Todos os e-mails que recebo, respondo nem que seja com um OK. Ou recebido. Todas as mensagens de celular também. É extremamente deselegante esse tipo de situação.

LOCAIS PÚBLICOS

Já viu gente que entra em lojas e clínicas comendo ou bebendo… Já presenciei cada cena bárbara… Alimentos com odores fortes, alimentos barulhentos e alimentos que espalham pó e sujeira. Onde está a educação desse povo hein?

Não sei se vocês já passaram por uma situação parecida… entra numa loja para provar uma roupa. E a atendente pede para você sair do provador para ver como a roupa ficou? Kkkkkkkkkkkkkkkkkk Totalmente sem noção. Tem outras que escolhem algumas peças e fala: – Essa peça é linda… Vai combinar muito com você. Por educação, só não quis completar a frase: Linda pra você, pra mim não.

Praça de alimentação cheia. Com a bandeja em mãos, rapidamente observamos uma família que está terminando sua refeição, e logo desocupará a tão disputada mesa. Sou capaz de fazer uma aposta com meu esposo. Eles irão recolher os lixos e bandejas da mesa ou não? Óbvio que sempre aposto no NÃO. É triste encarar a realidade que moramos num país tupiniquim. A maioria das pessoas aqui são mal-educadas sim, e a minoria tem a mentalidade de manter as coisas limpas, organizadas e dar conta de seus lixos, afazeres, etc.

Dio e feito. A mesa desocupa. Mas para usufruirmos dela, precisamos recolher todo o lixo e sujeira que O OUTRO fez, antes de sentar e saborear nosso lanche.

Há também aqueles que entram no elevador lotado falando alto no celular… (Bem, depois que fiquei presa 15 minutos feito sardinha enlatada, uso o bom senso e sempre que posso, aguardo o próximo para ir confortável). O povo ao redor com aquela cara de paisagem no recinto. Cadê o bom senso desse povo?

PAIS E FILHOS

Crianças desobedientes e indisciplinadas… Ninguém merece! Culpa da criança? De jeito nenhum! Culpa dos pais que não se esmeram em educar seus filhos da maneira correta.

E gente que oferece alimentos para crianças sem antes pedir autorização para os pais? EU aguento? E se a criança tiver alergia? E se a criança for diabética? Celíaca? Não custa perguntar antes de oferecer! De boa intenção o inferno está cheio….

Maternidade. Momento único, abençoado, perfeito!  Todos se adaptando a uma nova fase, diferente e nova. A mãezinha está naquele momento simbiótico, de adaptação, tudo bem, e muitas vezes tudo mal… e o povo quer visitar… Senhorrrr… Esse povo não tem senso mesmo.

Ou visita rapidinho na maternidade, ou ESPERA pelo menos 21 dias para visitar a criança em casa. Eu nunca vou antes de 30 dias. Acho um absurdo. Pelo stress de ter que receber visitas nesse período, e para preservar a criança também, de vírus, bactérias, etc.

Muitos não tem tanta intimidade com a pessoa, e pedem pra segurar a criança, outros não lavam a mão antes de encostar no bebê, e ainda tem uns acefálos, que nem sequer aguardam a gripe ir embora para visitar um recém nascido…. Além do mais, uma visita a um recém-nascido não deve ultrapassar 40 minutos, independente do grau de intimidade que tenha com a pessoa.

Certa vez eu presenciei um fato que me deixou estarrecida. Uma jovem teve um lindo bebe. No terceiro dia, chega seu compadre com a esposa e  três filhos sem avisar. Foram tirando do carro um isopor com carne para fazer churrasco e refrigerante e tudo mais. Fala sério ne! Tem gente que acha que só porque é íntimo, pode usar e abusar. É preciso respeitar o momento da mãe, do pai e da criança. Nesses primeiros dias, a última coisas que eles querem é se preocupar com visitinhas, bebida pra servir e sala pra fazer. A amamentação não é fácil para todas, nem todos os bebes são tranquilos, o parto pode ter sido difícil, enfim… Eles querem descansar e curtir.

A hora certa vai chegar. Esse bebe vai crescer, e vai ter todo tempo do mundo para se relacionar, participar de festas, reuniões sociais e eventos. Mas tudo tem seu tempo, e cabe a todos saber aguardar.