Educação e FamíliaQuem foi Glenn Doman e o que fez por meus filhos

É com muita emoção que estou aqui para expressar minha gratidão ao Dr. Glenn Doman. Pois através dela eu me aproximei muito mais de meus filhos e mudei minha forma de enxergar o ensino-aprendizado. Não se trata de fabricar gênios, de querer filhos superdotados, não se trata de querer filhos que passem no vestibular aos 15 anos, trata-se de dar aos filhos o direito de desenvolver todo o seu potencial de forma plena, educa-los para que o conhecimento esteja impresso em sua alma, e amem-o como uma alternativa para cultivar o que há de melhor no ser humano: a inteligência usada para o bem. 

Meus filhos sempre foram crianças sedentas de saber, nunca os enxerguei como mini-adultos incapazes, mas como seres humanos cheios de potencial. Eles passaram a amar o conhecimento como uma dádiva, um presente da vida. Tiveram o privilégio de associar aprendizado a algo maravilhoso, enquanto a geração antiga associava o aprendizado aos bancos tediosos da escola. Através do método Doman continuo aprendendo todos os dias e aproveito o privilégio de redescobrir o mundo junto aos meus filhos, com afetividade e alegria.
O desempenho escolar dos meus filhos é notório, e há uma forte marca na facilidade e prazer pelo conhecimento por onde eles passam.
Sim, o Senhor Jesus nos abençoou com uma genética muito forte! E queremos honra-LO e agradece-LO por tamanha graça!
O estímulo nos anos iniciais foi fundamental para consolidar tudo!
Enquanto a maioria das crianças falam AU-AU, outras falam CACHORRO, eu investi para que meus filhos falassem: “- Mamãe, aquele cachorro é um Dálmata”.
Infelizmente conheço poucos pais que dividem a mesma paixão pela educação, por compartilhar o conhecimento com os filhos… E poucos estão dispostos a investir TEMPO e ser o sujeito principal no ensino dos anos iniciais.
O método Doman oferece total autonomia para o pai/mãe  em administrar o método, considerando-lhes os melhores professores que seus filhos poderiam ter, ao invés de apontar para terceiros – os especialistas e pedagogos – como os detentores das respostas absolutas sobre educação. Nos programas de Doman há uma proposta de crescimento mútuo, e a mãe também passa a ter consciência do seu valor como ser humano pensante, e do seu poder na orientação educacional do filho. Não encontro essa proposta em nenhum outro método educacional, e acho que esse é um dos pontos fortes da metododologia Doman.
Meus filhos não fazem ideia de que os conhecimentos e habilidades que carregam fazem deles crianças diferentes.
Doman me mudou. Me deu uma visão da criança que abriu um universo infinito de possibilidades. E a partir de então vivo uma busca constante para dar aos meus filhos a melhor educação familiar.
Acredito em um tripé educacional:
– Corpo
– Intelecto
– Espírito
Se falhar em um desses, o ser humano está comprometido de alguma forma.
Assumi a responsabilidade integral de educá-los durante a primeira infância, não conforme o que eu ou a sociedade esperam deles, mas conforme o que eles querem e podem ser. Em tempos onde o TER impera, ensinei meus filhos a SER, e ser com intensidade e alegria.
Glenn Doman foi responsável por uma revolução na educação infantil, ou como ele gostava de chamar, uma “suave revolução”. Formou-se como fisioterapeuta em 1940 e começou a trabalhar com desenvolvimento cerebral infantil junto com uma equipe de médicos, fisioterapeutas, fonoaudiólogos, pedagogos e enfermeiros. Desenvolveu programas de desenvolvimento físico e intelectual que mostraram uma realidade surpreendente: muitas crianças com cérebro lesado, algumas das quais vivendo com apenas metade do cérebro, apresentavam um desempenho escolar satisfatório e até mesmo acima da média. Antes que houvesse a quantidade de estudos que há atualmente sobre plasticidade cerebral, Glenn Doman percebeu que pouco importava a causa da lesão cerebral ou quantos milhões de células nervosas ele teria perdido nessa lesão: se fosse devidamente estimulado, aquele cérebro poderia recuperar suas funções.
Mas uma pergunta intrigante começou a ser feita: porque as crianças ditas “normais”, com cérebros sadios e plenos, não estavam agindo de forma duas vezes melhor ou mais que as crianças de cérebro lesado? E ele concluiu que os padrões de desenvolvimento neurológico – tanto na criança com cérebro lesado, como na sadia, ou na superdotada – percorrem um mesmo caminho que vai da total desorganização até um alto grau de organização, e que que esse processo pode ser tanto acelarado como retardado.
O objetivo desse programa de leitura não é produzir bebês superdotados para serem exibidos na TV, mas sim em aumentar o vínculo afetivo entre o bebê e os pais através do aprendizado. Uma das principais recomendações de Doman é que seus programas sejam feitos numa atmosfera de amor e respeito, quando os pais ou a criança não estiverem se sentindo bem, é hora de simplesmente parar. Porque o aprendizado deve ser um momento de alegria para todos.
O respeito também se dirige à criança entre 0 e 6 anos, comumente tratada como incapaz, como um ser que precisa apenas de cuidados elementares de higiene, alimentação e alguns brinquedos para crescer enquanto faz basicamente… nada.
Hoje há vários estudos em Neuropsicolgia e Psciologia Cognitiva demonstrando a forma espetacular como se dá o crescimento cerebral da criança entre 0 e 6 anos. Nesse período ela aprende com grande rapidez e facilidade, desde que lhe seja dada essa oportunidade.
Segundo Doman, no período do nascimento a 1 ano, “o caráter do futuro adulto, em termos de capacidade física e neurológica, será mais fortemente determinado neste período da sua vida do que em qualquer outro“.
De 1 a 5 anos, ” é o período da vida no qual o cérebro é uma porta aberta a todos os ensinamentos, sem nenhum esforço consciente. Nunca mais teremos uma oportunidade igual a esta“.
De 5 a 8 anos “Como seria melhor para o aluno, para a professora e para o mundo se, por ocasião deste primeiro contato com a escola, o novo estudante já tivesse adquirido e conservado o gosto de aprender“.
Uma criança de três anos que lê, estará lendo placas e rótulos numa fila de supermercado, enquanto outra que não lê, certamente estará fazendo birra ou reclamando do cansaço. Uma vez um repórter insinuou que Glenn Doman estaria buscando formar um tipo de elite e perguntou a quem ele estava querendo fazer as crianças superiores, ao que ele respondeu: “a si mesmas”.
Os pais que aplicam os programas de Glenn Doman sabem que eles não diminuem em nada a experiência de seus filhos com a infância e o brincar. Na verdade gastamos muito mais tempo produzindo o material do que as crianças vendo o material.
Com meia hora por dia é possível fazer um programa completo de estimulação. E a criança terá todo o restante do tempo para ir ao parque, andar de bicicleta, jogar, brincar com bonecas e carrinhos, e fazer o que mais quiser. Ademais, para a criança, os programas de estimulação de Glenn Doman nada mais são que brincadeiras.
Justamente por terem sido cuidadosamente pensados para atender suas necessidades intelectuais conforme seu grau de desenvolvimento cerebral, eles não são cansativos. Justamente por serem aplicados numa atmosfera de respeito e carinho, muitas vezes eles são mais desejados que qualquer outra brincadeira.
Os pais que aplicam os programs de Doman percebem que a brincadeira que as crianças mais gostam é aprender. Não é preciso forçar nada (como se se pudesse forçar uma criança pequena a fazer qualquer coisa), não é preciso impor nada. O aprendizado vem de forma natural porque é inerente à  criança. Se você optar por não utilizar os programas de Doman, ainda asism seu filho irá aprender, da hora que acorda até o momento que dorme. Cabe a você apenas oferecer um “menu” variado de aprendizados para saciar-lhe o apetite intelectual.
– Como ensinar seu bebê a ler – editora Artes e Ofícios

– Como ensinar matemática ao seu bebê – editora Artes e Ofícios

– Como multiplicar a inteligência do seu bebê – editora Artes e Ofícios

– Como dar conhecimento enciclopédico ao seu bebê (apenas em inglês)

– Como tornar seu filho fisicamente superior (apenas em inglês)

– O que fazer pela criança de cérebro lesado – editora Auriverde

– Quão esperto é seu bebê (apenas em inglês)

#Glenndoman
#filhos
#aprendizagem
#educacao
#inteligencia
#neurociencia
#conhecimento
#crianca
#ensino
#escola
#desenvolvimentocerebral
#desenvolvimentointelectual
#desenvolvimentoneurologico
#Neuropsicolgia
#psicologia
#PsciologiaCognitiva
#Comomultiplicarainteligenciadoseubebe